Globo de Ouro 2018: Premiação celebrou a força da mulher

Neste domingo, aconteceu a cerimônia do 75º Globo de Ouro, a primeira grande premiação desde a onda de denúncias de assédio sexual que afetou Hollywood em 2017.

Como esperado, as atrizes usaram trajes pretos e muitas delas chegaram acompanhadas de ativistas pelos direitos das mulheres. Muitos homens também demonstraram seu apoio à causa, vestindo cores escuras e broches com a inscrição Time’s Up, o nome do movimento criado por atrizes de Hollywood para combater agressão sexual.

O destaque da noite foi o discurso de Oprah Winfrey, homenageada com o troféu Cecil B. DeMille pelo conjunto da obra.

No palco, ela lembrou das trabalhadoras anônimas vítimas de agressão sexual todos os dias.

“Elas são as mulheres que a mídia nunca vai noticiar. Elas são trabalhadoras domésticas, das fazendas. Elas trabalham em fábricas e restaurantes, na academia, engenharia, ciências e computação. Elas são parte do mundo da tecnologia, política e negócios. Elas são atletas nas Olimpíadas e são soldadas militares. Por muito tempo mulheres não foram ouvidas ou acreditadas, se elas se atrevessem a falar suas verdades contra o poder de homens. Mas a hora, chegou!”

Não menos emblemática foi a premiação da atriz Elizabeth Moss, por sua atuação na série dramática “The Handmaid’s Tale”. Em seu discurso, que também foi muito aplaudido, a atriz dedicou o prêmio à escritora Margaret Atwood, autora do livro que originou a série.

“Não vivemos mais nos espaços em branco, no canto das páginas. Não vivemos mais nos buracos entre as histórias. Somos as histórias e estamos escrevendo nossas próprias histórias”.